terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Adicionar pessoa em grupo de WhatsApp sem consentimento poderá gerar multa.

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou um projeto de lei que deve causar polêmica entre usuários do WhatsApp. A emenda constitucional, proposta pela senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), pretende proibir a inclusão de pessoas em grupos em "redes e mídias sociais" sem a prévia autorização da pessoa.
Basicamente, a intenção é tornar "infração civil" o ato de adicionar os usuários em agrupamentos do mensageiro sem consentimento - ação que também valeria para grupos de Facebook, Telegram e outros aplicativos similares.
Em pronunciamento no plenário, a senadora e relatora substituta do projeto, Simone Tebet (PMDB/MA), explicou a motivação para a aplicação do texto:
"Constrangimentos por essas práticas são inúmeros e vão desde os incômodos gerados pela infração de informações gerados por grupos indesejados até o desgosto com o recebimento involuntário de conteúdos violentos, pornográficos ou fúteis."
Após a aprovação da CCJ, o projeto ainda deve receber um parecer positivo da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática para seguir adiante. Ao receber um novo aval positivo, o texto será enviado para a Câmara dos Deputados e o Senado.
Ao final do processo, deve ser incluído como uma emenda do Marco Civil da Internet.

(DOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Idoso de 64 anos é preso em flagrante por venda de drogas em Novo Progresso

 Um homem de 64 anos foi preso em flagrante na manhã desta sexta-feira (19) por tráfico de drogas em Novo Progresso, em via publica. ...