quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Religiosos e amigos de vítima são presos suspeitos de matar missionária após culto, no PA.

Maria Francisca de Sousa Vaz teve a morte planejada pela filha e pelo genro. Missionário da mesma igreja é apontado como autor do crime.
Sete pessoas foram acusadas de participação no assassinato de Maria Francisca de Sousa Vaz, conhecida como missionária Francisca, e da amiga Joanice Silva de Jesus. O duplo homicídio ocorreu no dia 9 de dezembro de 2017, em Redenção, na casa de uma das vítimas. A filha e o genro da missionária morta foram os mentores do crime. Eles estão presos. Segundo denúncia do Ministério Público do Estado do Pará, divulgada nesta quarta-feira (31), no dia do crime, a missionária Maria Francisca de Sousa Vaz recebeu em casa seus assassinos para uma sessão de oração.
O crime
O missionário Ricardo, Wesley e Euzilene receberam promessa de recompensa no valor de R$ 5 mil, previamente ajustada com
Jean e Aline, genro e filha da missionária Francisca, contrataram o missionário Ricardo Pereira Lima da Silva, Wesley Costa da Silva e Euzilene Alves de Almeida para cometerem o crime, sob a promessa de pagar ao trio R$ 5 mil.
Os suspeitos foram até a casa de Francisca e entraram para orar. Após o momento de oração, Euzilene e o missionário Ricardo chamaram Francisca para o quintal da frente da residência, perto da entrada de acesso para o salão. Nesse local, Euzilene segurou a missionária e Ricardo, usando um objeto cortante, desferiu um golpe na região lateral esquerda da cabeça da vítima e, após, virou o pescoço dela, torcendo-o. Como a vítima ainda estava respirando, jogaram um saco de cimento em cima dela.
Euzilene, e Aline, filha de Francisca, que golpearam Joanice com um cabo de rodo e facadas no rosto. Segundo as investigações, este segundo assassinato não estava no roteiro inicial dos criminosos, sendo decidido naquele momento.
Consumado o duplo homicídio, Jean entrou na casa, pegou a faca do crime e os celulares das vítimas. Todos os suspeitos fugiram, mas antes reviraram o guarda roupas para simularem um roubo.
Crime por dinheiro
Foram denunciados pelo Ministério Público do Estado: Ricardo Pereira Lima da Silva (missionário Ricardo); Jean Altamir Rodrigues da Silva (genro), Aline Lásara Gomes de Sousa Vaz (filha), Wesley Costa da Silva, Euzilene Alves de Almeida, Ednelson da Silva Rosa de Oliveira e Dourivan Sousa Lima.
Após individualização das condutas, Ricardo, Euzilene, Aline, Jean e Wesley responderão pelo crime de homicídio qualificado, duas vezes. Jean responderá também pelo crime de ameaça. Ednelson por falso testemunho e Dourivan pelo crime de ameaça.
Segundo o Ministério Público, a motivação do crime foi o interesse do genro Jean e da filha Aline pelo dinheiro da venda da residência de propriedade da missionária Francisca. Euzilene e Wesley são companheiros e visavam retorno financeiro com a morte. Da mesma forma o missionário Ricardo, pessoa de confiança de Francisca, visava ter vantagem econômica.
Já Ednelson Oliveira é acusado do crime de falso testemunho durante o inquérito policial e Dourivan Lima do crime de ameaça contra Wesley e Euzilene para que não contassem nada à polícia civil, pois havia sido filmados por uma câmera de monitoramento de um supermercado durante a fuga.
G1 Pará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chuva com ventos fortes impressiona e deixa prejuízos em Itaituba

Portas e janelas de vidro quebradas, destelhamento de casas e brinquedos do parque afetados, foram alguns dos danos deixados pelos vento...